É primavera, te amooo

Se dentro de você também surge um Tim Maia empolgado a cada vez que a estação mais bela de todas dá suas caras, então pode entrar que o post é seu. É que não dá para não falar das flores, dos pássaros e de tudo o que a Primavera traz. Afinal, é tempo de reflorescimento, renascimento e retomada. Tempo de se alegrar com o colorido que só a natureza faz por você. Por tudo isso, claro, o design também bebe dessa fonte e tenta chegar perto de tanta perfeição e criatividade. Bom, inspiração, pelo menos, não falta.

Cheia de dobras

A arquiteta Nellianna van den Baard e o designer industrial Kenneth Veenenbos são donos do Snowpuppe, estudio holandês que tem, entre as criações, essas luminárias em formato de dobraduras e feitas, acredite, em papel de origami. Fabricados em pequena escala, eles criam um efeito de luz diferente e confortável. Além do efeito estético espetacular sobre a mesa de jantar.

il_570xN.342403348il_570xN.487457186_8684

As peças são vendidas na Etsy

il_570xN.432209191_3c7b

E ainda há as versões de arandelas que podem ser dispostas de diferentes formas

E se tirar a cor?

Não tem problema, porque a Primavera consegue ser graciosa até em preto e branco. Diz se não é verdade olhando essa luminária em formato de flor de lótus? A criação do estúdio inglês Young & Battaglia para a inglesa Mineheart, é também feita de material original – o feltro – e tem amarrações que dispensam suportes.

black_lotus white_lotus

Preto ou branco? Você escolhe!

Desabrochando

Com um efeito ainda mais natural, a luminária de piso Bloom faz exatamente o que o nome sugere: ela desabrocha. Desenhada pelo francês Patrick Jouin, ela é composta por pétalas num aramado que se abre segundo a vontade do dono da casa. O efeito é incrível.

bloom-flower-table-lamp2-400x291

Geometricamente desenhadas, as pétalas formam o botão…

bloom-flower-table-lamp5-400x397

…Que se abre a medida que a ponta é torcida

bloom-flower-table-lamp1-400x303

Daí, você escolhe: aberta ou fechada 🙂

Bateu asa

E foi parar na parede. Uma só não, várias.  Essas borboletas funcionam como ganchos que servem para receber tanto peças de roupa como pequenos objetos úteis, como chaves, por exemplo.  Criação do estúdio dinamarquês Makers With Agendas .

makers-with-agendas_butterfly-500x357 (1)

Uma revoada de alegria 🙂

Butterfly-and-Stilt-500x749

De frente, elas ganham nova forma, mas a utilidade continua a mesma 

Os pássaros

Eles não poderiam faltar também. Mas vêm de uma forma bem original sob o olhar de  Juan Miguel Juarez, Laura Blasco e Alex Estévez, espanhóis do Mermelada Studio . Em formato criativo nesse set de talheres onde o cabo é o corpo e a lâmina é o bico. As variações são uma graça, veja só.

Birds-by-Mermelade-Estudio-4

Bico curto…

Birds-by-Mermelade-Estudio-5

… Longo …

Birds-by-Mermelade-Estudio-6

… Quadrado …

Birds-by-Mermelade-Estudio-7 

… Ou arredondado

Galhos para regar

Vão-se as folhas, ficam os galhos. E esses aqui servem justamente para que novas flores nasçam. Eles são regadores cheios de estilo e ergonomia criados pelo designer holandês Robert Bronwasser para a Goods. O Spring tem duas saídas que servem como alças para a rega. (Via Design Spotter)

02410679788

Pegue um já e vá cuidar do seu jardim! 🙂

Se essa cadeira fosse minha

Eis o objeto de desejo de todo designer: a cadeira. É simples, é fácil, mas vá fazer uma pra você ver que não é. Isso porque há de se reinventar a roda. Já se criou de um tudo. Com braço, sem braço, com muitas pernas, sem nenhuma delas, de madeira, de metal, de papelão e de plástico. Sem contar que há questões industriais – quanto menos material melhor, mais barato; se tem facilidade de transporte; se é empilhável, etc, etc.

Há também a questão do conforto. Uma de madeira, crua de tudo, pode acomodar muito melhor que uma com tecido felpudo – por questões que passam pela ergonomia, por exemplo. E tem também a estética. Não tem jeito. O mobiliário passa pelo visual. Não vá me dizer que basta apenas ser funcional. Uma bela cadeira enche os olhos.

Vamos lá, com base nisso tudo, aí vão  minhas cadeiras preferidas. Aquelas que, sim, eu gostaria de ter criado.

Cadeira Panton

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

Criada pelo designer Verner Panton em 1967, a cadeira que recebeu seu nome reúne muitas vantagens: apelo industrial, de conforto e estético. Numa peça só, a Panton usa o mesmo material, numa forma única e ainda desafia a gravidade. Fora que o movimento do designer é fascinante. (Foto: wikipedia)

Louis Ghost

eei-121-clr

Difícil escolher uma peça apenas do francês Philippe Starck, mas a sacada dessa cadeira é genial. Feita em policarbonato, que pode ser transparente ou colorido, ela revisita a poltrona Luís XV mas com um design simplificado, e não menos fantástico. O efeito transparente, que dá uma impressão da cadeira flutuar, não é apenas um capricho visual, é também de uma funcionalidade estética enorme, pois em ambientes pequenos ela não pesa. (Foto: wikipedia)

Poltrona Egg

The_Egg_Chair

Arne Jacobsen, arquiteto e projetista dinamarquês, sabia das coisas. Sua poltrona é de aparência pesada, não deve ser muito fácil de ser deslocada. Mas em um quesito ela arrebenta. O de “se jogar”. A poltrona é mais que um convite, é um ímã. A base talvez esteja na inspiração do desenho, o ovo, lugar de nascimento, de conforto emocional. Sabia ou não das coisas mister Arne? (Foto: wikipedia)

Wassily Chair ou modelo B3

wwwdezeencom_Design-Museum-Collection-App-chairs_6

Uma armação tubular em aço leve,  inspirada nos de guidão de bicicleta, tiras de couro e, voilá, eis uma cadeira pra lá de esperta. E olha que ela é da década de 20, construída na oficina da Bauhaus por Marcel Breuer. O nome é em homenagem a Wassily Kandinsky, o pintor russo de traços inconfundíveis. (Foto: http://www.dezeen.com)

Eames Plastic Armchair RAR

pwww.hermanmiller.com_photo_gallery_eames_plastic_11

O casal de designers norte-americano Charles e Ray Eames foi pioneiros na utilização de materiais como resina plástica. A  Eames Plastic Armchair é uma das mais clássicas cadeiras em se tratando de design, com suas pernas aramadas que lembram a Torre Eifel. Mas a sua versão com pernas de balanço é, para mim, a melhor das ideias. (Foto: http://www.hermanmiller.com)

Poltrona Chifruda

{CEF3534E-18C6-423D-9AB0-26A12D06CD75}_chifruda

Não é à toa que Sérgio Rodrigues alcançou tanta projeção. Além de um querido senhor, ele é um gênio. A Poltrona Mole é um ícone mas eu fico com a Chifruda. A peça é arrebatadora, tem uma dramaticidade única, parece que tem vida e tudo isso a faz um peça de desejo e tanto. Como não amar? (Foto: http://www.sergiorodrigues.com.br)

Ok, ainda faltam muitas ainda. Afinal, enquanto existirem novos designers no mundo, existirão novas cadeiras. E a sua preferida, qual é?

Miniature-Designer-Chair-Collection

(Foto: http://www.homeworkshop.com)

Blog no WordPress.com.